Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Programa leva estudante de Dom Pedrito para intercâmbio de três semanas nos Estados Unidos

Exemplo de dedicação, Isabelli foi premiada no Jovens Embaixadores

Publicação:

Estudante presta trabalhos voluntários
Estudante presta trabalhos voluntários - Foto: Arquivo pessoal
Por Renato Gava

Estudante do último ano do Ensino Médio, Isabelli Chaves Borba Silveira, 18 anos, prepara-se para, pela primeira vez, viajar para fora do Rio Grande do Sul. E não é qualquer viagem: a estudante da Escola Estadual de Ensino Médio Nossa Senhora do Patrocínio, de Dom Pedrito, foi selecionada para participar do programa Jovens Embaixadores e, em janeiro, embarca para um intercâmbio de 21 dias nos Estados Unidos. Todos os custos relacionados ao programa são cobertos pela embaixada e pelo Departamento de Estado dos Estados Unidos. O apoio é da Secretaria de Estado da Educação (Seduc).

- Na hora em que eu soube, nem sei explicar o que senti. Foi uma grande surpresa, pois achei que não daria. Agora é providenciar a papelada e esperar – conta Isabelli, que mora com os avós desde criança.

Ela soube do programa pela internet. Descobriu que um dos requisitos estabelecidos pela embaixada é estar prestando algum tipo de serviço voluntário, e isso ela já fazia – há mais de um ano, presta serviços básicos em asilos e outras entidades por meio do Interact Club, grupo de jovens ligado ao Rotary Club. A outra exigência era uma prova oral e escrita, que ela fez em setembro, com professores da Seduc, e teve ótimo desempenho.

- Eu sabia que tinha ido bem na prova, mas nunca é fácil conseguir a vaga – avalia.

Isabelli e os avós, com quem mora em Dom Pedrito
Isabelli e os avós, com quem mora em Dom Pedrito - Foto: Arquivo pessoal



DEDICAÇÃO

Até hoje, sua mais longa viagem foi de Dom Pedrito, na região da fronteira com o Uruguai, onde vive desde criança co os avós, até Balneário Pinhal, no litoral gaúcho – fez o trajeto uma vez, há cerca de 10 anos. Nesta segunda-feira (5), ela esteve na Receita Federal, em Bagé, para providenciar o passaporte – seu único gasto obrigatório. Só conseguiu dar entrada no documento porque a família se mobilizou para bancar os R$ 257. Sem conseguir trabalho na cidade de cerca de 40 mil habitantes, Isabelli aproveita o tempo livre para se dedicar ao estudo da língua inglesa.

O embarque está previsto para 11 de janeiro de 2019, com retorno em 3 de fevereiro. A estudante pedritense ficará a primeira semana em Washington, em um hotel. Depois, como parte do intercâmbio, percorrerá estados próximos, ficando em casas de família. Enquanto planeja o que levar, ela já sabe como será parte da bagagem de volta:

- O que mais me pediram foram roupas, celular, coisas assim. Ainda nem sei o que poderei trazer – diverte-se a estudante.

PROGRAMA

O programa está em sua 17ª edição e premia alunos que sejam exemplares em suas comunidades em virtude de trabalho voluntário e desempenho escolar e, ainda, tenham conhecimento da língua inglesa. As inscrições são feitas no site da entidade – este ano, o prazo encerrou-se em 12 de agosto. Em 2019, 50 estudantes do todo o país participarão do projeto – além de Isabelli, Marcelo Eduardo dos Santos, do Instituto Federal Sul-Rio-Grandense, de Venâncio Aires, está no grupo.

De acordo com a coordenadora do programa e assessora da Seduc, Juliana Grieger, esta é uma oportunidade para os estudantes da rede pública menos favorecidos socio-economicamente vivenciarem um intercâmbio nos Estados Unidos. “O intercâmbio possibilita, além da interação com estudantes de outras localidades, o conhecimento de outra cultura. É um momento único e especial na vida dos contemplados”, completa.

Secretaria da Educação