Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Estudantes gaúchos desenvolvem aplicativo voltado à sustentabilidade

Jovens tiveram a experiência de participar de olimpíada nacional e conquistar o terceiro lugar

Publicação:

Alunos que executaram o projeto
Alunos que executaram o projeto - Foto: Bruna de Bem
Por João Fernando Júnior

 Estudantes da escola estadual Otávio de Souza, localizado no bairro Jardim Botânico, em Porto Alegre, desenvolveram o projeto de aplicativo Empreendimentos Sustentáveis. Ele serve para ensinar o usuário a diminuir os danos ambientais com soluções simples a serem feitas em casa e que podem reduzir o custo em contas de luz e água, por exemplo, beneficiando a economia familiar. Com o protótipo do app, os alunos conquistaram o terceiro lugar na Olimpíada Nacional de Aplicativos (Onda), organizado pela Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS). Eles receberam a premiação no Laboratório de Estudos Avançados Multidisciplinares, no Polo da Universidade Aberta do Brasil, em Gramado.

Gabriele Sparremberger, Pedro Braga e Nathan Castiglio, foram os estudantes do segundo ano da Otávio de Souza que tiveram a missão de representar a escola na competição. Pedro conta que a participação foi bem importante para estimular mais a criação de novos apps. “A gente já tem novos projetos em mente, queremos sempre mais”, destaca. “Entramos na cara e na coragem, fomos evoluindo muito. Hoje penso em entrar em outros projetos porque vejo
que podemos chegar muito longe”, diz Gabriele. “Essa experiência foi muito boa, nos aproximamos mais dos professores e dos amigos”, relata o aluno Nathan.

Nos menus do app Empreendimentos Sustentáveis, o usuário pode conhecer por exemplo, soluções para a produção de microenergia eólica, entender como funciona o processo de captação de energia com painéis solares e também saber como captar água da chuva e de poços artesianos.

Desafio

 

O maior desafio para eles, foi iniciar o projeto do zero. O procedimento de aprendizagem passou por momentos de erros e acertos, motivando a vontade de aprender, tornando a relação de professores e alunos mais unida. O professor de Química e orientador do projeto, João Paulo dos Santos, acredita que o incentivo à produção de materiais tecnológicos deixa consequências positivas para os alunos. Ele diz que já estão pensando em participar de outros projetos nessa área. “A gurizada fez um baita trabalho e nunca pensaram em desistir. Objetivo agora é tentar sempre incluir projetos com mais alunos”, completa.

A professora de Letras e Literatura, Rosemari Rodrigues, ajudou a incentivar os alunos da Otávio da Souza a participar da olimpíada. Ela conta que viu a divulgação do projeto e trouxe para a escola como forma de inclusão social dos alunos, acreditando na agregação do conhecimento e experiência para a vida. “Com essas propostas nós podemos motivar os outros alunos a se interessar por esses temas, a partir do exemplo”, relata.

A escola pretende ainda dar seguimento aos projetos de tecnologia. A ideia é motivar ainda mais a participação deles em ações que estimulem a desenvolver ferramentas de habilidades. Como o app ainda está em fase de construção, em breve ele será disponibilizado ao público em geral.

Secretaria da Educação